sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Adjectivos nunca são de mais.

Um dia estava aqui a ler “blogs” e fiquei a pensar porque raio tem esta gente pseudo-intelectual-sentimentalista-depressiva que usar tanto adjectivo!

Procuram(os) palavras mais caras no dicionário para exprimir secretamente o que sente(i)m(os). Usam(mos) metáfora atrás de metáfora atrás de um sem número de figuras de estilo e pontuação exagerada.

E no fim, tudo o que querem(os) dizer, resumia-se num, estou triste, estou contente, hoje morri e nasci 50 vezes.


3 comentários:

Heartless. disse...

Não podia estar mais de acordo!
Tenho a cabeça, o corpo e o coração metidos nesse saco.

Um beijinho!*

Flávio Neto disse...

Bem...quase que me sinto atingido por esta divagação concisa, imaginativa e decerto certeira divagação...
E sim, é verdade, mais absurdamente obscura a palavra é, mais gosto dela, não por ser cara, mas por ser obscura.
E por que me justifico?
Bem, não tenho nada melhor para fazer.
Um abraço!

Rubi Girão disse...

Até estás a dar uma crítica muito forte para quem mete tanto parênteses (se é que é assim que se escreve) numa frase...

Epa acho que o inserir ou não o adjectivo na frase faz a diferença entre um desgraçado que está na merda e um artista (com todo o seu peito emproado e mania da cabeça cheia). Ou se calhar é isso mesmo... a cabeça está tão cheia que uma pessoa sente necessidade de encher também um texto...
Bom tópico para futura dissertação... e claro.. cheia de palavreado e adjectivos e substantivos. PAlavras complicadas nem tanto que o meu dicionário é pequeno... ;P

Cumprimentos gaja***